DEUS TEM UM PROJETO DE VIDA PARA CADA UM DE NÓS.

(João 10:10b.)"Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância"!

Pr.Vagner Moraes

Pr.Vagner Moraes

Translate

quarta-feira, 9 de março de 2011

O que a bíblia nos diz sobre casamento civil e união estável.

Um homem e uma mulher que se unem em amor e vão morar juntos sem o casamento mais vivem como um casal casado perante a sociedade e se respeitam com a fidelidade mutua. Aos olhos de Deus são casados? E perante a lei do homem aqui na terra são casados?

Esse mesmo homem e essa mulher depois de anos de convívio ,virem simplesmente a se separarem e ir um para cada lado e depois manterem uma outra união com parceiros diferentes. O que eles estarão infligindo? A lei de DEUS? OU a dos homens? OU ainda as duas ?

Após alguns anos de novo se separam e vão um para cada lado de novo e seguem suas vidas sem nunca terem sido casados perante a lei ,sem compromissos .Mas após alguns anos se passarem venham a se unir em um novo relacionamento sendo que dessa vez casam-se no civil e no religioso.

E agora Deus reconhece o casamento ?E a lei da constituição reconhecem como casados verdadeiramente?

A igreja tem sido hipócrita quando não os reconhecem como um casal casado, desde a 1ª união, pois perante Deus foram casados três vezes. E passando assim por dois divórcios.

Não há na Bíblia sagrada nada que fundamente a ideia de que para ser reconhecido por Deus, o casamento precise de uma certidão ou contrato, quer estabelecido pelos pais, pela religião ou pelo estado. A prova disto é que os casamentos que não foram realizados ou regidos por tais instrumentos, eram diante de Deus reconhecidos e válidos (Gn 1.27-28; 24.58-67; 29.21-30; 41.45; Ex 24.1; 1Sm 18.27; Rt 4.9-13; Mt 1.24-25, etc.) O contrato de casamento é mencionado apenas no livro apócrifo de Tobias 7.13, e mesmo assim com caráter descritivo e não prescritivo.

Sendo o casamento não sujeito a um padrão bíblico, judicial e cultural universal, entende-se que Deus o concebe conforme o tempo, cultura, costume e padrões normativos da sociedade, desde que não infrinja os princípios estabelecidos pela palavra de Deus, dentre os quais a heterossexualidade e a fidelidade conjugal (Gn 1.27, 2.22-25; Ex 20.14, 17; 1Tm 3.2;).

Não existe nenhuma passagem na Bíblia que determina ou obriga a um casal que se ama e se identifica e que não tem nenhum empecilho para viverem uma vida a dois, possa formar um lar e desfrutar de um relacionamento conjugal e sexual abençoado por Deus que determinou: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”. Gênesis 2: 24.

Não é um papel de cartório e nem leis de homens aqui na terra, que transformam duas pessoas que se amam, HOMEM e MULHER, em uma só CARNE, e sim a lei do amor de Deus no coração do homem e da mulher que se desejam. “De modo que não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem”. Mateus 19: 6. Quem UNE o casal é Deus e não os homens aqui na terra e nem papel carimbado de cartório.

Só a partir do século IX a igreja (católica), começou a chamar para si a competência para regular de forma exclusiva a toda matéria matrimonial, vindo no Concílio de Trento em 1553 dar ao casamento a condição de sacramento da Igreja. Até então, desde a Igreja Primitiva, não havia dificuldade no reconhecimento do casamento conforme os padrões sócio-culturais, desde que fundamentado nos padrões bíblicos, conforme já citado.

No Brasil, a Igreja no seu princípio seguiu as diretrizes da Constituição Republicana de 24 de Janeiro de 1891, no art. 72, parágrafo 2°., que reconhecia apenas o "casamento civil", e do Código Civil que vigorou a partir do 1° de Janeiro de 1917, cujas disposições só reconhecia como válido o casamento civil celebrado pela autoridade secular. Entendendo-se dever cívico de submissão às autoridades constituídas (Rm 13) e da preservação dos bons costumes (padrão culturalmente instável), a Igreja Evangélica, sem maior reflexão bíblica, privou o batismo nas águas e consequentemente da santa ceia aqueles novos crentes congregados que se encontravam diante da "lei" irregulares e marginalizados em virtude de sua união conjugal não seguir as diretrizes legais de então, quanto ao casamento ou reconhecimento do status de família. Com os graves problemas que esta exigência jurídicas causou, uma vez que não eram reconhecida pelo Estado as uniões conjugais estáveis, acontecia que no momento da separação entre estes "casais", a mulher sempre sofria prejuízos na partilha (quando havia partilha) de bens e em outras questão básicas.

Diante deste quadro, partindo de mudanças no Direito Tributário, o Estado acabou por reconhecer através da Constituição de 1988 em seu art. 226 parágrafo 3°, a união estável entre homem e mulher como entidade familiar, caracterizada pela convivência pública, contínua e duradoura com o objetivo de constituir família. Tal artigo foi regulamentado pela Lei 9.278 de 10 de Maio de 1996 e pelo novo Código Civil de 10.01.2002 em seu art. 1723. O Estado com isso corrigiu um erro e uma injustiça, retomando o principio dos primórdios da sociedade onde "o fato do casamento era por si reconhecido e satisfatório. Tais mudanças nas leis do país, não quebraram nenhum principio bíblico referente a vida conjugal entre homem e mulher, ao contrário, consolidaram o referente princípio.

Não há Novo Testamento nenhuma exigência para o batismo nas águas relacionada a "contratos ou certidões de casamento", aliás, as únicas exigências são arrependimento, fé, consciência e vontade (Mc 16.16; At 2.38-41; 8. 36-37). A história e a Bíblia (Mt 15.3) nos revelam os riscos de se colocar a "tradição" acima da Palavra de Deus promovendo com isto a injustiça. É no mínimo contraditório o fato de se negar o batismo nas águas para os crentes que participam ativamente da vida congregacional, contribuem com seus dízimos, dão ofertas, evangelizam, fazem parte dos órgãos de cântico, alguns são líderes, ensinam na escola dominical, e são batizados com o Espírito Santo. Só não podem assumir funções "oficiais" e participarem da Santa Ceia.

Mudar é incômodo, mas por vezes é necessário. Mudar com responsabilidade, avaliando as conseqüências das mudanças é essencial. O desejo por mudança, por bem intencionado que seja, acaba mexendo com padrões fortemente estabelecidos e arraigados em qualquer instituição. Não quero ser simplista, visto que a questão exige assim uma análise cautelosa.

O pensador e questionador corre o risco de ser mal interpretado e até "excomungado" (Jesus, Paulo, Lutero, Luther king e outros que o digam). Pensar diferente nem sempre é pensar errado. Pensar criticamente é necessário. Pensar biblicamente é sempre certo. O propósito desse texto é fazer pensar, refletir, gerar discussão, debate, pois só assim os erros podem ser corrigidos, as mudanças podem acontecer e a justiça pode ser promovida.

65 comentários:

  1. A paz do senhor tenho uma pergunta!!
    Olá meu nome é ingrid tenho 20 anos sou casada e tenho uma pergunta ao sr.
    por favor me responda preciso saber.


    Meu esposo antes de se casar comigo teve um relacionamneto de 2 anos com uma moça,eles não eram cristãos, desta relação naceu um filho e eles foram morar juntos mas não se casaram legalmente,então depois de uns meses ela aceitou a Jesus, porém a união deles se desfez e meu esposo veio embora pra são paulo onde nos conhecemos depois de cinco anos q ele estava separado, e nos casamos no civil,minha pergunta é

    o Fato de ele ter morado junto com essa moça e de ter um filho,faz com que diante de Deus ele seja considerado um homem q foi casado?
    E eu por estar casada com ele faz de mim uma pessoa q está adulterando?

    considerando o fato de q eles não eram crentes,ela veio a aceitar a Jesus uns meses antes de se separar dele, e ele não quis Jesus na época, eles estão separados fazem seis anos e eles moraram juntos só por seis meses,mas o relacionamenteo durou dois anos contando com o namoro.
    Eu tenho q me separar dele?

    se quiser mande a resposta para mim pelo meu imail: ingrid0192010@hotmail.com

    Mediante a luz da Biblia quem é oficialmente a esposa dele diante de Deus? eu ou ela?

    ResponderExcluir
  2. ola!! paz do senhor!! quero fazer uma pergunta, gostaria que me respondesse pois preciso muito dessa resposta.
    sou solteira tenho 18 anos, namoro com um rapaz que e evangelico(somos vangelicos)entrei ha pouco tempo na igreja, nos dois estamos passando por dificuldades, estamos sendo obrigados a nos casarmos, ou entao nos separarmos, mas nao temos condiçoes para um casamento religioso e civil no momento,mas tambem nao queremos nos separar.estamos pensando em casar apenas no civil, por sermos evangelicos sera que podemos fazer isso diante a lei de Deus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim o importante é casar o tão logo possível.
      conversem com o seu pastor ,com certeza ele ira te ajudar no que precisar.

      Excluir
  3. carmem,paz do senhor!tenho uma dúvida,eu fui casada.Estou separada a 4 anos,agora conheci um homen evangelico e ele quer casar comigo,mas eu não sou divorciada,pq meu ex.foi para longe e eu não sei o endereço dele.ESTA pessoa que conheci,diz que temos que casar para morarmos juntos,Ele diz que não podemos pecar perante DEUS..A pergunta É entam se eu não me divorciar eu não posso ficar com ele..espero resposta no meu e-mail
    cr.schiling@hotmail.com obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim , não pode ficar com ele enquanto não divorciar-se,pois estaria cometendo o pecado de adultério visto que ainda é casada e não se divorciou-se.

      Aconselho que procure o seu ex-marido e de a entrada no divórcio . ainda que esteja longe, para Deus nada é impossível.

      Excluir
    2. Tu é loco pois pra Deus nâo a diforcio
      O que Deus junta home não sepera so a um jeiito de si livra de um casamento a morte fique na paz e leia mais a palavra de Deus

      Excluir
    3. A paz!
      Obrigado pela atenção,mais quero informar a vc se o marido dela esta longe já esta com outra ela não sabe o endereço dele e estão a 4 anos assim,sendo infiel um com o outro e cometendo adultério,Deus consente carta de divórcio só em caso de infidelidade que é o caso aqui.Por isso aconselho a se divorciarem,para saírem do pecado .

      Excluir
  4. olà,sou casada e tenho dois filhos,fui amaziada durante 6 anos e esta com 2 anos q me casei no civil,nossa vida melhorou muito apos o casamento, porem sou catolica mas estou estudando a biblia com meu esposo a uns 6 meses e vejo e o catolicismo e cego em muitas coisas,aprendi q perante Deus nao sou casada pois não me casei na igreja,mas não acho na biblia a parte q devo me casar na igreja,estou em duvida devo me casar na igreja?aguardo resposta no meu e-mail luzia_moreiracosta@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Paz do Senhor Pastor, eu sou viuva tenho um novo esposo hoje, já faz 8 anos, e a 8 anos eu venho em um luta tremenda, eu sou cristã envangelista, sou do coral, circulo de oração etc... ele não é cristão mas é uma benção não tem vicius nenhum, so nao tem jeito de querer casar e meu Pastor diz que pra eu participar em tudo na igreja tenho que casar no civil!! o meu marido não é ateu mas é uma dureza de coração, me disse ontem que casamento é bobagem, puxa vida fiquei arrasadissima to pensado sériamente em deixã-lo ele me disse esses adivinhadores querem enlouquecer todo mundo, eu disse pra ele prefiro ficar com os adivinhadores da Biblia e ir para o ceu, do que ficar contigo e ir para o inferno, hoje mesmo estou em jejum preciso que Deus fala comigo! Pastor Wagner o que eu faço? nunca jamais trocaria meu Deus por nada neste mundo!!! estou em furnicação? estou errada ne??? me diga alguma coisa obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O seu casamento para Deus ja esta consumado a 8 anos ,apenas tem que orar e pedir a Deus que tire a dureza do coração do seu esposo mostre a ele que até perante a lei vc já vive uma união estável perante a sociedade e ja tem direitos de partilhas se ambos se separarem.converse com o seu pastor mostre a ele que vc quer oficializar tudo ,peça para seu pastor ser paciente com a doutrina do homem aqui na terra.E vc não esta trocando a Deus ,porque Deus não quer que vc jogue fora esse relacionamento e depois culpe Deus eo seu pastor...

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. porque será, que a igreja para ser a noiva do Senhor tem que viver e obedecer certos requisitos, dentre os quais o testemunho e a publicidade de atos no que diz respeito a Cristo?

    pq que sera que o amasiamento, juridicamente chamado de união estável, não é um ato formal? não carece de publicidade e de testemunho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sabia que o casamento na igreja não é bíblico? Calma, calma com os pensamentos e conclusões... Vou explicar melhor.
      Os casamentos na antiguidades eram feitos nas casas, fazendas e similares; Após a junção entre a "igreja" e o Estado, deu-se o início a construção de templos para reunião dos cristãos; por volta do ano 313, aconteceu que o imperador Constantino, notando que o Império Romano estava perdendo o prestígio e o cristianismo em ascensão, teve a diabólica ideia de unir a riqueza do império com a popularidade do cristianismo (que se desviara dos ensinamentos deixados por Cristo e seus Apóstolos), criando assim a "Igreja Católica Romana" (Lembrando que, diferentemente do que é ensinado em catequeses e outras instituições, a "igreja" Católica não tem sua origem em S. Pedro e muito menos ele foi Papa).
      A partir daí era muito interessante fazer os casamentos nos magníficos e luxuosos templos. As igrejas Protestantes herdaram essa herança do catolicismo e por esse motivo, com o passar dos séculos as tradições regem que se faça o casamento em igrejas.
      Mas calma!!! Você que casou na igreja ou que está pretendendo casar em uma, saiba que NÃO É PECADO casar na igreja; só estou com isso trazendo uma informação que muitos não conhecem: Que o casamento na igreja é uma herança católica e não um mandamento bíblico.
      Quando na Bíblia se fala de casamento, certamente que não se fala em cerimonia religiosa na igreja. Fala sim, de um acontecimento criado por Deus onde se cumpre os Seus mandamentos, começando lá em Gênesis 2:24, com Adão e Eva.
      Deus criou o casamento, mas conforme escrevi acima, no princípio o casamento não era feito na igreja e somente após a tradição católica romana isso acabou acontecendo.
      O casamento válido é o registro em cartório perante esse mundo. E perante DEUS é muito bom fazer um culto para celebrar a alegria e cultuar a Deus pela bênção do casamento, pois quem une um homem a uma mulher não é um documento civil mais DEUS (Mateus 19:6 Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu não o separe o homem.)Portanto procure receber a benção em uma igreja ,em uma cerimonia de casamento ou em um culto recebendo a oração e bênçãos de DEUS sobre o seu casamento. Eu sempre sonhei em casar em um sítio, mas como as condições financeiras não me permitiu realizá-lo, casei na igreja, porém meu casamento já estava oficializado perante as Leis do nosso país. (Marcos 12:17) E Jesus, respondendo, disse-lhes: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E maravilharam-se dele.(Ou seja da a lei do homem o que é do homem e a lei de DEUS o que é de DEUS)

      Excluir
  8. A paz querido! Eu fui da igreja do Evangelho quadrangular e la, eles ensinam q o casamento no civel e religioso tem q andar juntos...
    e aonde eu congrego hoje, nao precisa casar no civel só no RELIGIOSO iai, meu amado pastor o q me diz??? ta certo isso ai??

    ResponderExcluir
  9. A paz querido.
    Sim!è bom estar em acordo com as leis de Deus buscando a benção casando no religioso,mas devemos obedecer as leis da constituição de nosso pais e casar também no civil.

    ResponderExcluir
  10. A paz o Senhor! Sou evangélica, e namoro já faz um tempo, porém mantenho relações sexuais com meu parceiro, sei que estou em pecado, por isso desejo regularizar minha situação! No momento não tenho condições alguma em fazer um casamento no civil e religioso, pois ainda estamos procurando uma casa, ou melhor, estamos correndo atrás do nosso futuro...sendo assim para tentar "regularizar" pensei em fazer a tal declaração de união estável, uma vez que acredito que o casamento é válido a partir de algum documento do Estado. Gostaria de saber sua opinião sobre tal situação. Desde já agradeço!

    ResponderExcluir
  11. A paz !
    Minha querida , o contrato de União Estável É um documento no qual um homem e uma mulher declaram que vivem juntos em união estável, vivendo como casados com objetivo de constituir família.
    Normalmente o casal faz esta declaração com a finalidade de incluir o cônjuge no plano de saúde ou na hora de comprar algum imóvel em financiamento.
    Não existe um tempo específico para se fazer esta declaração, ou seja, o casal pode declarar meses ou anos. Na Declaração constará o tempo de convivência declarado e ela terá validade a partir da data que o casal declarar como início da convivência e não a data em que a declaração foi feita.
    Nesta declaração pode-se estabelecer o regime de bens que vai reger essa união, mesmo não sendo um casamento. Ou seja, é possível (e as vezes recomendável) se fazer a declaração com o regime da Separação ou da Comunhão Universal de bens.
    Assim, a Declaração de União Estável pode ser o instrumento que vai evitar problemas futuros no caso de um rompimento.
    A Declaração de União Estável, não é a mesma coisa que um casamento, porque os cônjuges não mudam o seu Estado Civil e não podem adotar um o sobrenome do outro.
    Sendo assim se optar pela união estável busque o mais breve possível realizar o casamento , para não cair no comodismo assim que o tiverem condições.
    Eu penso que vcs já tem a consciência que estão vivendo amasiados e querem casar para saírem dessa condição,então deveriam orar a DEUS que com certeza dará a providencia para que vcs venham a casar direto,sem precisarem da união estável a Deus. Confiem em Deus e lance sobre ele toda vossa ansiedade.
    I Pedro 5:7
    Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. A paz do Senhor!
    Tenho uma namorada q tem 2 filhos e já morou com um homem sem ter se casado na igreja ou no civil, nessa união eles tiveram 2 filhos.
    Gostaria de saber, se quando eu me casar com ela, se vou tá vivendo em pecado por causa disso.
    Nós nos amamos muito e queremos nos casar, mas tô com esse receio em cometer adultério, caso a gente se case.
    Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  14. A Paz do Senhor!
    Sua preocupação é válida. Parabéns por estar procurando fazer a vontade de Deus.
    Antes de eu responder a sua dúvida eu preciso de mais detalhes,como por exemplo.:
    1-Ela e ele eram cristãos ou não? Quando teve o relacionamento anterior que obteve os 2 filhos.
    2-Ouve rompimento entre eles por causa de infidelidade ou não?
    Um grande abraço!
    Fico no aguardo.

    ResponderExcluir
  15. Não eram cristãos e várias vezes se separaram por causa de traição e outras coisas ruins.
    Agora ela disse que não volta pra ele de jeito nenhum, mesmo se eu não quiser ficar com ela.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. A paz do Senhor!
    Sendo assim como me informou acima,eles estavam no tempo da ignorância pois não conheceram a Deus na ocasião,mais ainda pelas traições de infidelidade. Se eles não vivem mais juntos e ela hoje cristã como você,vejo que nada os impede de em cristo casarem-se e constituírem uma família feliz.
    Lembro a você meu irmão que tem que amalá tanto quanto aos seus filhos.
    Felicidades a vocês.

    ResponderExcluir
  17. A paz do Senhor! Sou evangelica casada apenas no civil com um não cristão e infeliz no casamento por incompatibilidade espiritual e carnal. Gostaria de saber se eu divorciasse eu estaria livre para um outro casamento... Obrigada...

    ResponderExcluir
  18. A paz!
    I Corintios 7:13-15
    13 - E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe.
    14 - Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.
    15 - Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.
    Veja que o versículo 15 da a condição para o divórcio apenas se o descrente não quiser mais o casamento e aparta-se a abandonar.Do contrário não.
    ore a Deus para que através do seu relacionamento com ele o senhor o santifique e mude o quadro do seu casamento.
    Que Deus restaure o seu casamento.
    Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  19. A paz do Senhor... obrigada pelo esclarecimento! Que o nosso Senhor abencoe o seu ministerio...

    ResponderExcluir
  20. Boa noite Pastor.... Estou a 4 anos em uma relação. Quando nos conhecemos eramos católicos porém nenhum dos 2 era praticante, a + ou - 1 ano minha noiva se tornou evangelica e desde então tem colocado, que perante Deus, tenho que me converter para que possamos nos casar e viver essa união. Temos uma boa convivência e atualmente nosso unico ponto de conflito tem sido este. Acredito que podemos sim constituir uma família uma vez que ambos somos cristãos e acreditamos em um Deus único e nosso Pai apesar de estarmos em religiões diferentes. O que o Senhor e a Biblia dizem a respeito?

    ResponderExcluir
  21. A paz.
    Bom se realmente vc não era católico praticante e ainda não o é hoje,mais estão juntos a 4 anos ,antes de ela se converter ao evangélio,não vejo nenhum mal em vc pelo menos a acompanhá-la sem pressões apenas visitar com ela ,pois vcs tem algo incomum e lindo que é o amor de vcs vivendo muito bem.Então quero dizer que para se casar com ela independe de ser evangélico ou não,nada por imposição é bom.
    Diga para ela que a ama e quer casar-se com ela.quanto a se tornar um evangélico como ela,peça a ela que espere a sua decisão ,mais para isso vai conhecer e visitar a igreja com ela para conhecer e ver o que algo te tão bom fez a sua esposa se tornar uma evangélica e hoje ela querer o mesmo para vc,visto que o ama.
    Que Deus os abençoe...

    ResponderExcluir
  22. Boa noite pastor, paz do Senhor... tenho um pergunta.
    Conheço um rapaz que é mora junto com a esposa a +/- 2 anos dessa relação nasceu um filho... e ele veio falar a mim que ele teria que casar porque estava em pecado?
    minha pergunta é.. se perante a lei dos homens a união dele já é reconhecida... se ele não quiser oficializar não a necessidade? porque pelo que eu entendi ele só que casar para mostra pra sociedade que ele casou... e para algumas pessoas que ele saiu do pecado... mesmo que ele não se sinta pecando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A união estável não possui requisitos formais para sua constituição, ao contrário do casamento, ou seja, a mera convivência de 2 anos duradoura e pública com o objetivo de constituir entidade familiar já caracteriza a união estável independentemente de qualquer documento. No entanto, muitos casais optam pela formalização de união estável ou o casamento por questões pessoais como a do casal em questão, ou para estabelecerem alguma peculiaridade como o regime de bens (na união estável, assim como no casamento, no silencio das partes, o regime adotado é o da comunhão parcial de bens).

      Excluir
  23. deus respeita as leis dos homens ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Mais Nem sempre.
      Nem toda lei criada pelos homens aqui na terra estão em sintonia com a vontade de Deus, e muitas delas são criadas exatamente para desacreditar os mandamentos do Senhor, e por isso mesmo não devem ser observadas e nem obedecidas pelos verdadeiros SERVOS DO SENHOR JESUS CRISTO, como fez Daniel, desobedecendo a lei criada pelo Rei Dario que proibia seus súditos a fazerem qualquer pedido a Deus, mesmo lhe custando a cova dos leões como punição, sendo livrado por Deus.

      Excluir
  24. A paz do Senhor !! Boa Noite
    Gostaria que o Sr me tirasse uma dúvida. Eu estou morando a um ano com um homem e ele está separado a um ano e meio da Ex mulher e eles são casados na igreja católica e casados no civil, eu sou evangelica e ele catolico e tenho orado todos os dias para que Deus trabalhe nas nossas vidas e que esse rapaz com quem moro entregue a vida dele ao senhor. Por tanto ele já está preparando os papeis pois a ex dele não aceita o divorcio então vai ser no letigioso. Nesse caso como está minha situação perante aos olhos do pai Todo poderoso.

    ResponderExcluir
  25. A paz!
    se seu parceiro ainda não tem o divórcio da ex-esposa e vcs moram juntos,isso constitui em adultério perante Deus e a sociedade também.

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde! Tive um relacionamento que durou 11 anos, não nos casamos nem civil , nem religiosos. Tivemos duas filhas. Faz um pouco mais de um ano que estamos separados. Conheci a Deus na epoca em que passamos a viver juntos, mas infelizmente nos afastamos varias vezes de Deus. Viviamos em pé de guerra pelo ciume doentio dele. Muitas brigas e agressões, não denunciadas durante tantos anos. Duarnte a convivencia tb houve infidelidade pela internet. Chegou um momento em que não mais acreditei em continuarmos juntos. Reencontrei uma pessoa e viramos amigos. Por fim, fui posta pra fora de casa. e com ele ficou nossas filhas e todo o resto. neste meio tempo reencontrei uma pessoa do passado, que tem em seu meio familiar o cunho evangelico. Ele tb é, mas tb estava afastado. Acabamos nos relacionando. Sei e temos total consciencia que devemos retornar ao mundo de Deus, e queremos estabelecer tds os vinculos civis e cristão necessarios. Não temos condições agora. AMs queriamos ao menos estabelecer a União estável, até poder resolver as minhas questões com meu ex companheiro, de guarda e divisões de bem. Mas meu atual, noivo, tem me pedido pra estabelecermos logo esta união, por questões de consciencia e familiar, pois moramos junto e a familia dele não sabe. Contudo, preciso resolver a questão de reconhecimento e dissolução com meu ex-companheiro, sem contar o pedido de guarda e divisão de bens. Tem sido dificil, pois meu ex companheiro, já me ameaçou e não facilita as coisa. Mas eu gostaria muito de estar unida a este meu noivo e por fim fazer todo o processo que nos mantenham unidos diante de Deus. O que eu queria saber, é se é possivel, estabelecer a união com meu noivo, até que possamos resolver o matrimônio, antes de eu ter que reconhecer a antiga união e pedir a dissolução. Ando muito aflita. tentando resolver tudo, mas realmente as vezes me sinto sem saida e pressionada. Não que não seja a minha vontade, mas pela propria pressão de meus pensamentos com relação a uma vida com Deus e pela questão d e meu noivo e da familia dele, fora a questão de minhas filhas, que não quero ter margem alguma que facilite a possibilidade de perda da guarda delas, quando entrar com um processo. Enfim, espero que possa me auxiliar.

    ResponderExcluir
  27. por favor se possivel me responda por e-mail: sheu.b@hotmail.com

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  29. Ola paz tenho uma duvida, sou evangelica desde q nasce e meu marido tbm, só que qndo namoravamos ele precisou morar em outro estado e fizemos uniao estavel, eu assim vim visita-lo e acabei ficando. Me falaram q estou em pecado e q n tenho a bencao de Deus. Mais no entanto estou morando do lado da casa dele mais ja fizemos sexo. Estou mesmo em pecado? Sendo q ja fizemos uniao estavel q é o msm casamento no civil.

    ResponderExcluir
  30. Olá! A paz.
    Deixa eu entender algumas coisas nessa relação:
    Primeiro me responda porquê não se casam?
    Outra coisa vc chama ele de meu marido e moram separados por quê?Já que fizeram a união estável.
    Estou no aguardo das respostas.

    ResponderExcluir
  31. Ola. Eu me casei a dois anos com minha esposa so no civil. Eu sou desviado da igreja e ela de familia catolica. Ultimamente ela tem ido bastante na igreja e comecou a me questionar q estamos em pecado por termos casado so no civil, e me disse q teriamos q fazer um voto de castidade ate a gente se casar na igreja. So q a gente nao tem necessecidades de realizar esse casamento na igreja no momento, apesar de eu nao concordar com isso. Entao, eu queria saber se estamos mesmo em pecado e o q devo fazer para explicar pra ela? Obrigado

    ResponderExcluir
  32. A paz!
    Meu irmão voto de castidade pra que? Não façam isso , continuem como casal casados que o são no ciil e busquem enquanto isso as benção de Deus no seu casamento em uma cerimonia religiosa para Deus abençoar o seu casamento.

    ResponderExcluir
  33. Pr. Boa noite!
    Estou em um grande empasse, pois estava tudo certo para que eu me casasse nos padrões normais (civil+religioso), no entanto minha noiva recebeu a notícia de que se ela se casar no civil perderá o direito a receber sua pensão que é seu meio de sobrevivência, eu não tenho condições de sustentar uma casa sozinho, no entanto juntando as finanças podemos sim viver junto. E agora? O que faço? Se nós casarmos só no religioso estamos estaremos contra as leis do Senhor e assim perdendo sua benção? Graça e Paz

    ResponderExcluir
  34. Boa noite!
    Não sou um consultor jurídico ,mais até que eu seja sabedor ela não perde a pensão se se casar-se,

    Prezada,

    Não. A senhora não perde a pensão. Pode casar sem medo. Como é sabido, a pensão por morte tem por objetivo assegurar uma renda mensal aos dependentes do segurado quando este vier a falecer.

    Agora, caso o novo companheiro venha a falecer, a senhora não poderá ficar com as duas pensões, mas pode escolher a de maior valor.

    Veja-se:

    Da Lei nº 8.213/91 que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras Providências.

    Com o advento da Lei n.º 8.213/91, a história de que a mulher (viúva) perde o benefício que recebe do INSS, por morte do marido, em caso de vir a contrair novo casamento ou passar a conviver em união estável, não é verdadeira. Salvo se da nova união ocorrer alteração econômico-financeira para melhor e, portanto, tornar desnecessária a pensão.

    O Poder Judiciário, quando provocado, tem se posicionado desde à época do extinto Tribunal Federal de Recursos no sentido de que a mulher (viúva) que contrai novo casamento não perde o benefício pensão por morte do marido. A única possibilidade de perdê-la (pensão por morte do marido) é se for comprovado que do novo casamento resultou melhoria na sua situação econômico-financeira.

    O extinto Tribunal Federal de Recursos já havia sumulado o seguinte entendimento: Súmula 170 "Não se extingue a pensão previdenciária, se do novo casamento não resulta melhoria na situação econômico-financeira da viúva, de modo a tornar dispensável o benefício".

    Nesse mesmo diapasão, a Instrução Normativa (INSS) n.º 118, de 14 de abril de 2005 revogada pela Instrução Normativa (INSS) n.º 11/2006 - que baliza os atos do Instituto Nacional de Seguro Social - INSS -, quando trata sobre o pagamento de proventos previdenciários, diz claramente o seguinte:

    "É vedada a percepção cumulativa da pensão mensal vitalícia com qualquer outro benefício de prestação continuada mantido pela Previdência Social, ressalvada a possibilidade de opção pelo benefício mais vantajoso."

    Salvo melhor juízo, a Instrução Normativa é clara ao afirma que aquela que for beneficiária da pensão por morte, caso case-se novamente, manterá o direito de percepção referente ao mesmo. Entretanto, caso venha a falecer o novo marido, a beneficiária não poderá cumular tais proventos, podendo optar pelo benefício mais vantajoso.

    Portanto, se a mulher percebe, mensalmente, a título de pensão por morte do marido 01 (um) salário mínimo, contrai novo casamento com um homem que percebe 01 (um) salário mínimo, a titulo de proventos, do INSS, não perde o benefício (pensão por morte do marido. E por quê? Porque não houve nenhuma mudança, para melhor, na situação econômico-financeira da mulher.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Pr. agradeço o empenho em responder juridicamente, mas será que tal lei vale também para pensão para descendente? Pois a pensão que ela recebe é do pai e não de um primeiro marido.
      Desde já agradeço e sei que seu intuito não é fazer nenhuma consultoria jurídica, mas estamos muito preocupados.

      Excluir
  35. Ok! Então vamos lá!
    Qual era o função de trabalho e órgão do falecido pai?

    ResponderExcluir
  36. Olá!
    Nessa esfera ficou edifício de eu saber pois saberia mais se ela fosse pensão de policial militar ou militares,Pois conheço um pouco dos militares que servi 6 anos.
    Penso que antes de tudo procurem o junto ao RJPREV ou órgão competente do seu estado para consultarem o seu caso em questão.

    ResponderExcluir
  37. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  38. A paz do Senhor!

    Eu li em alguns comentários que muitas pessoas se sentem culpadas por não terem casado no religioso... Eu não estou compromissada, mas não pretendo me casar no religioso, apenas no civil, pois meu ideal de casamento não é constituir família, e sim me unir definitivamente a alguém que amo. Quer dizer que se eu não me casar no religioso minha união não será abençoada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não! Mais porque não agradecer a Deus e buscar a confirmação das bençãos de Deus em uma cerimonia religiosa debaixo de orações.Foi Deus que criou e instituiu o casa mento no livro de Gênesis na Bíblia, por isso a frase tão solene que os ministros de Deus dizem nos casamentos "O que Deus uniu não separem o Homem". O homem realiza o casamento na esfera jurídica,mais Deus o faz na terrena e na espiritual.por isso devemos levar a Deus o nosso casamento em sua presença e reconhece-lo como o abençoador supremo da nossa união,como seres gratos que o somos..

      Excluir
  39. Casei no civil mais hoje nao estamos juntos ele mora com outra mulher e continuamos casados eu evangelica e ele desviado,pois todas as vezes que eu penso em me separar dele eu abro a biblia sempre fala de adulterio e que ele aborrece o divorcio e fala mais que so' pode casar de novo se um ficar viuvo, pode casar com quem quiser contando que seja no senhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Deidy!
      Se ele já vive com outra pessoa, não há porque vocês continuarem mais casados... E se você depois disso conhecer outro rapaz, pode se casar, pois o seu primeiro casamento já foi rompido no momento em que seu ex-marido foi viver com outra mulher. Em relação ao que a Bíblia diz sobre divórcio, ele pode ser feito se ocorrer adultério, e os dois podem casar-se novamente com outras pessoas!
      Espero que eu tenha respondido sua pergunta!
      A paz do Senhor!

      Excluir
  40. A Paz de cristo Jesus!
    Amigos leitores antes de formularem suas perguntas e dúvidas ,leiam todo o tópico pois suas duvidas ou perguntas podem ter sido igual as respondidas nos tópicos de outras pessoas

    ResponderExcluir
  41. Bom dia, a Paz!
    Eu morei junto com um rapaz a quase 4 anos... ele sempre me traiu, me enganou e eu não fui nada sábia, acabava dando ouvido e respondendo as afrontas.
    Não namoramos muito tempo para termos uma base, foi tudo muito rápido. Eu não era evangélica e nem católica praticante.
    Namoramos 55 dias e de repente resolvemos a morar juntos.
    Entre tantas traições em 2012 eu resolvi sair de casa, pois ele estava depois de muitas promessas quebradas me traindo novamente, com a mulher que ele esta até hj e morando junto e que ela esta gravida.
    Gostaria de saber se eu sou a esposa dele, e se tenho legalidade pra orar, pra declarar que ele é meu marido... Pra declarar o Que Deus uniu não separe o homem, ou largar mão. Porque cresci sabendo que casamento pra Deus é apenas um, mais fico meia perdida. Sofri muito ao saber da gravidez, depois da gravidez ele sumiu, e antes praticamente todos os dias ele vinha atrás de mim... Devo orar buscando a restauração e que eu consiga perdoar ou devo seguir em frente sem culpa?

    ResponderExcluir
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  43. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  44. Minha esposa saiu de casa e pediu o divorcio 04 meses depois fiquei sabendo que esta noiva e vai casar agora em agosto. Diante de Deus ela vai esta cometendo adultério ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O divórcio é um problema persistente, danoso e desorientador, a maioria das famílias já foi afetada por ele. Os pastores estão divididos a respeito de como lidar com pessoas divorciadas. Às vezes as igrejas ficam em dúvida sobre como lidar com um membro divorciado. O tema divórcio, novo casamento e o adultério realmente são muito controverso. Há muitos extremistas e muitos posicionamentos e ideias não bíblicos sobre o divórcio. Nossa responsabilidade é averiguar as Escrituras e descobrir o que a Palavra de Deus diz efetivamente sobre o assunto.

      O embasamento para as afirmações a respeito do divórcio, feitas por nosso Senhor, em Mateus 19.9, está no versículo 3 do mesmo capítulo. Então, chegaram aos pés dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: !É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?", os fariseus pensaram ter colocado o Senhor em uma armadilha com essa pergunta.

      Se Ele dissesse que Sim, o Senhor estaria contradizendo o que Ele mesmo já tinha dito, em Mateus 5.32. "Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério."

      Se, por outro lado, o Senhor dissesse Não, Ele contradiria o que Moisés havia dito em Deuteronômio 24.1. Pelo menos, contradiria a interpretação que tinham dessa passagem. "Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela, então será que, se não achar graça em seus olhos, por nela encontrar coisa indecente, far-lhe-á uma carta de repúdio, e lha dará em sua mão, e a despedirá de sua casa." Os fariseus tinham dado uma interpretação tão ampla à frase !se não achar graça em seus olhos?, que permitiriam o divórcio por qualquer razão, não importasse o quanto fosse frívola.

      Nosso texto é a parte principal da resposta do Senhor à pergunta dos fariseus. "Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério."

      O Senhor diz que o divórcio ou o repúdio da esposa de algum indivíduo não é legal, não importa o motivo, exceto um motivo. O Senhor diz que há um motivo, e somente um, pelo qual uma pessoa casada pode se divorciar de seu cônjuge de maneira justa.

      Aos olhos dos homens há muitos motivos para o divórcio hoje em dia. Há crueldade, violência contra a esposa, alcoolismo, falta de apoio, cônjuges condenados à prisão, hospitalização, loucura, um marido ou esposa que se torna uma pessoa relaxada, um casamento que não está dando certo, diferenças irreconciliáveis, incompatibilidade, etc., etc., etc. A Igreja Romana dissolve um matrimônio quando um membro decide tornar-se monge ou freira.

      Mas, segundo o Filho de Deus, nenhum desses é motivo para o divórcio. De acordo com o Senhor, só existe uma razão bíblica e legítima para o divórcio, que é a fornicação ou o adultério por parte de um dos cônjuges. "Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério?. O Senhor Jesus explicitamente refere-se tanto aqui quanto em Mateus 5.32 que o divórcio somente é permitido por razão de adultério de um dos cônjuges de um matrimônio.

      Excluir
    2. COM RELAÇÃO AO PECADO DAQUELES QUE SE DIVORCIARAM DE MANEIRA NÃO BÍBLICA E CASARAM NOVAMENTE?

      Algumas pessoas carregam a culpa de tais pecados durante anos e nunca realmente conseguem ter alívio de maneira completa. Infelizmente, os cristãos, às vezes, usam os divórcios de seus companheiros cristãos contra eles como se esse pecado de alguma maneira os tornasse cristãos de segunda classe. O que um indivíduo deveria fazer a respeito desse pecado?

      Primeiro, deveria encarar este assunto de modo honesto e franco e, acima de tudo, ele deveria encarar isso levando em conta o que a Bíblia tem a dizer sobre esse assunto. Precisa parar de evitar o assunto e confrontá-lo abertamente.

      Segundo, quando descobre, a partir da Bíblia, onde pecou, tem que trazer seus pecados à presença de Deus. Tem que confessar seus pecados e tem que implorar pela purificação e perdão de Deus. I João 1.9 diz "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda injustiça."

      O que Deus faz com nossos pecados quando os levamos a Ele? Ele os purifica e os perdoa. Algumas pessoas pensam que o pecado abominável do adultério é muito ruim para que Deus o perdoe, mas Deus diz, em Mateus 12.31, que todo tipo de pecado será perdoado aos homens. Deus perdoou a mulher samaritana e que tinha sido cinco vezes casada e divorciada e que estava vivendo com um homem com quem ela não estava casada. Quando um pecador traz o seu adultério a Deus, Deus perdoa esse pecado e o esquece. Em Jeremias 31.34, o Senhor diz: "? porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados". Nem sempre somos capazes de esquecer nossos pecados, mas Deus pode.

      Em terceiro lugar, uma pessoa tem que viver para o Senhor em total obediência e proximidade com Ele, começando por hoje, e desse dia em diante. Ele precisa agradecer ao Senhor pela Sua purificação e perdão. Agora é necessário que se esqueça das coisas que atrás ficam e avançar para o alvo.

      É nisso que penso hoje , o amor de Deus nos constrange e que as misericórdias de Deus são as causas de não sermos consumidos.


      http://comunidadepentecostalprojetovida.blogspot.com.br/

      Excluir
  45. Somos evangélicos Casados no civil a 3 anos e Minha esposa saiu de casa dia 24 de Fevereiro e pediu o divorcio 04 meses depois fiquei sabendo que esta noiva e vai casar em agosto. Diante de Deus ela vai esta cometendo adultério ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz de cristo Jesus!
      Amigos leitores antes de formularem suas perguntas e dúvidas ,leiam todo o tópico pois suas duvidas ou perguntas podem ter sido igual as respondidas nos tópicos de outras pessoas

      Excluir
  46. Ola Pr.Vagner. Eu preciso que o senhor me responda se eu e meu marido estaremos pecando se eu decidirmos ficar apenas em união estável? Sendo que decidimos nos juntar e construir uma familia nos tornando uma só carne e sendo fiel um ao outro assim como diz na biblia. Estamos morando juntos a 7 meses, e estou gravida de 5 meses. Eu sou evangélica mas meu marido nao é...

    ResponderExcluir
  47. A paz pastor,já vivo com meu marido ha 4 anos e temos uma relação de mutuo respeito e fidelidade um para com o outro,mas não casamos no civil nem na igreja,estou em pecado perante Deus?Pois pelo q entendi acho q não,mais essa duvida não sai da minha cabeca!!Obrigada!!

    ResponderExcluir

deixem aqui os seus comentários.