DEUS TEM UM PROJETO DE VIDA PARA CADA UM DE NÓS.

(João 10:10b.)"Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância"!

Pr.Vagner Moraes

Pr.Vagner Moraes

Translate

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

CASTIGO X PALMADAS.


Aprovado nesta quarta-feira (14/12/2011) pela Câmara dos Deputados, o projeto de lei que proíbe que crianças e adolescentes sejam punidos com castigos físicos, incluindo a conhecida palmada, pode ser "inócuo", na avaliação da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Para o presidente da ordem, Ophir Cavalcante, a lei só surtirá efeito se for implementada em conjunto com políticas públicas de educação familiar.

"A lei, sozinha, pode ficar sem eficácia, pois a palmada como forma de educar é algo cultural neste país, herdada do colonizador português. Temos de ter campanhas educativas e de planejamento por parte do Poder Público para informar as famílias sobre a melhor forma de ensinar as crianças. Esse é um dever do Estado que, lamentavelmente, não tem estrutura para isso. A lei pode cair no vazio", argumentou Cavalcante

Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo. Prov. 19:18.

O texto original hebraico não menciona a possibilidade de castigar o filho a ponto de matá-lo. Ao contrário, a mensagem é “castiga a teu filho, enquanto há esperança”, porque se não o fizeres serás responsável por sua morte.

O verbo castigar, em hebraico Yassêr, envolve a idéia de instrução e repreensão. Mediante a instrução, você planta a semente do conhecimento na vida do filho. Através da repreensão, tira as ervas daninhas que aparecem espontaneamente.

Ensinar é uma experiência fascinante. Nas últimas férias, viajei acompanhado de minha netinha de um ano e meio. Era impressionante vê-la repetindo as palavras. Os tios, tentando ensiná-la a fazer alguma coisa nova, e ela, ávida por aprender. Pessoalmente, gosto de ensinar. É como se a gente se dividisse em mil pedacinhos para viver no coração de outras pessoas.

Mas ensinar é apenas a metade do processo educativo. A outra metade, tão importante quanto a primeira, é a repreensão, ou castigo como o chama a Bíblia. Aqui não se fala necessariamente do castigo físico, embora do ponto de vista bíblico ele tenha lugar na educação.(Provérbios 23:13,14 e 29:15) A idéia do texto é chamar a criança para o bom caminho quando, levada pelos instintos, se aproxima perigosamente do precipício.

A tendência moderna de excluir o castigo na formação da criança é temerária e pode ser fatal. O que você faria se o seu filho pequeno se aproximasse do abismo? Dialogaria. Correto. E se insistir? Continuaria dialogando, muito bem. E se ele continuasse insistindo? Você o retiraria dali? A vida está cheia de precipícios e abismos morais. Eles não envolvem apenas perigos físicos. Têm conseqüências eternas. Portanto, não se omita. Discipline, instrua e repreenda. Mostre o caminho e chame a atenção quando for preciso.

Não basta ser pai. Tem que disciplinar. Disciplinar é amar. Corrigir é ser responsável. Você não está sozinho nessa dura tarefa. O Deus que lhe deu os filhos como um presente de amor, saberá orientá-lo na educação deles.

Que Deus o abençoe. “Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo.”

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL


VEM CHEGANDO O NATAL

Natal,que deveria perdurar em nossos corações durante todos os dias de nossas
vidas, já começa a tomar conta de nós. Já estamos nos preocupando com os
presentes que vamos dar e, ao mesmo tempo, curiosos em saber quais os que vamos
ganhar. Eu, particularmente, neste ano, ganhei muitos presentes. Ganhei lições
de vida que jamais esquecerei; ganhei um pouco mais de humildade e isso,
confesso, estava me fazendo falta; ganhei o dom de compreender, ao menos
tentar, um pouco mais as pessoas; ganhei forças para vencer as dificuldades que
me surgiram; e dentre varias outros presentes, todos de grande valia, ganhei a realização de está construindo a minha casa própria que já esta em faze terminal .São tantos os presentes que realmente não
conseguiria retribuí-los da forma que gostaria de fazê-lo. Assim, à Deus,
entrego minha alma e minha fé. A minha esposa O meu amor e a minha fidelidade Aos meus familiares, pessoas de suma importância
em minha vida. Às amizades o meu coração, meu respeito, meu carinho.
Pastor Vagner Morais

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

AMIGO OU ''AMIGO.''


Ao generoso, muitos o adulam, e todos são amigos do que dá presentes. Prov. 19:6.

Conheço pessoas que enquanto possuíam dinheiro e podiam fazer favores viviam rodeados de gente que se dizia amiga. Quando por algum motivo atravessaram momentos críticos, viram-se inesperadamente sozinhos. “Parecia que eu tinha lepra”, se queixou um deles. “Ninguém mais queria a minha companhia.” O texto de hoje não é um desestímulo à generosidade. É uma advertência para diferenciar os amigos, dos amigos. Os verdadeiros amigos não fazem tudo que você pede, nem concordam sempre com suas opiniões. Dizem o que pensam, sem temor de represálias. Dificilmente pedem algo. Você percebe muitas vezes as dificuldades que eles enfrentam e lhes estende a mão.

Um dia, ouvi um grande mestre dizer: “Faça-se amigo das pessoas enquanto elas não são importantes.” É uma grande verdade. Você sabe quem são seus amigos quando não tem um nome conhecido, nem possui dinheiro. O verdadeiro amigo não está o tempo todo ao seu lado, fisicamente, mas você pode contar com ele em todas as circunstâncias.

O “amigo” é um adulador. Adular não é o mesmo que elogiar. Não há nada de errado em reconhecer as virtudes das pessoas e dizer isso para elas. Todos precisamos de elogios para continuar realizando. Os “amigos” não elogiam. Adulam ou bajulam. Dizem o que você deseja ouvir. Nunca discordam de sua maneira de pensar e agir. Essas pessoas não servem de conselheiras, mas “estão” o tempo todo ao seu lado. Seja sábio. Aprenda a distinguir os verdadeiros amigos. O tolo vive rodeado de “amigos” que alimentam o seu ego e suas manias de grandeza. Tem medo da verdade. Compra mentiras a alto preço. Vive as irrealidades que os outros constroem para ele. Vá pelos caminhos que a vida lhe apresenta hoje, com sabedoria. Evite arapucas. Fuja do perigo. Não brinque com a sedução. Pense na sua família, que é o tesouro mais precioso. Lembre-se da confiança que seus amados depositam em você e não se esqueça: “Ao generoso, muitos o adulam, e todos são amigos do que dá presentes.”

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Suposições são traiçoeiras e perigosas.


Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte. Prov. 14:12.

Outro dia, encontrei uma pessoa pedindo ajuda na estrada. O carro estava com um pneu furado. “Eu supunha que tinha estepe, mas não tinha”, disse ele, todo envergonhado. Sabe? As suposições são traiçoeiras e perigosas. Suposições são coisas que você acredita serem verdadeiras, e às vezes acabam sendo falsas. As suposições, na maioria das vezes, são néscias e incorretas. Você acha que está no caminho certo, que sua idéia é extraordinária ou que a imagem que você tem de uma pessoa é acertada. No entanto, com o correr dos dias, descobre que estava completamente enganado. Existem pessoas que perderam grandes oportunidades simplesmente porque fizeram suposições erradas. Quando você deixa-se levar por suposições, machuca pessoas queridas e até destrói relacionamentos significativos. Por isso, o provérbio de hoje afirma que o fim de seguir o caminho que você supõe correto pode ser a morte. Mas, afinal de contas, não é responsabilidade sua escolher o caminho a seguir? Não é você que tem que saber se este ou aquele é o caminho certo? Será que o conselho divino é que você deva orientar sua vida seguindo apenas a opinião das pessoas? Não, claro que não. O conselho divino é: Não se deixe levar por suposições. Fundamente suas convicções. Você acredita em algo porque todos acreditam ou porque achou razões sólidas para aceitar este ou aquele conceito? Fundamentos sólidos para apoiar qualquer conceito só podem ser achados numa fonte que, ao longo da história, tem provado ser infalível. Essa fonte de sabedoria não pode ser apenas o acúmulo de experiência ou conhecimento humano. Precisa ter sua origem em Alguém que é eterno e imutável. Essa fonte é a Bíblia. Seus princípios são eternos e infalíveis. Se hoje você leu esta mensagem com humildade, perceberá que o Espírito de Deus está chamando seu coração para refletir. A decisão transcendental que você vai tomar hoje está fundamentada naquilo que você supõe ou nos princípios da palavra de vida? Isto é básico, porque “há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte”.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

CASA DO JULGAMENTO. Uma viagem ao seu destino final.

Missão:

Nossa missão é dar a tantas pessoas quanto possível a oportunidade de escolherem um relacionamento pessoal com Jesus Cristo. A base dessa missão pode ser encontrada em Mateus 28:18-20. “Então Jesus chegou perto deles e disse: Deus me deu todo poder no céu e na terra. Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando estes seguidores em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho ordenado a vocês. E lembrem disso: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.” (NTLH)

Visão:

Nossa visão é dar a tantas pessoas quanto possível a oportunidade de escolherem um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, equipando e treinando igrejas e organizações para realizarem uma apresentação teatral criativa e inovadora baseada na Bíblia.

Valores:

Em Casa do Julgamento® nós temos algumas crenças espirituais básicas que dirige tudo o que fazemos. Elas definem quem somos, o que somos e como vemos o nosso propósito, como pessoas e como organização. Nós cremos que as igrejas e organizações com as quais trabalhamos devem compartilhar dessas mesmas crenças:

• Nós cremos que a Bíblia é a inspirada e infalível palavra de Deus.

• Nós cremos que o único verdadeiro Deus revela a si mesmo a nós como Pai, Filho e Espírito Santo.

• Nós cremos que a salvação é pela Graça de Deus e não pelas obras.

• Nós cremos que Jesus Cristo é o filho de Deus que voluntariamente morreu na cruz pelos nossos pecados para que todo aquele que o aceite tenha vida eterna.

• Nós cremos que Cristo ressuscitou corporalmente e ascendeu aos céus onde agora é nosso intercessor, e que o Espírito Santo mora em todos aqueles que aceitam Cristo como Salvador.


O Que é Casa do Julgamento?

Casa do Julgamento® é uma apresentação teatral interativa que lida com as escolhas feitas pelas pessoas e as conseqüências dessas escolhas nesta vida e na eternidade.


Mas Casa do Julgamento® é bem mais do que isso. Nem uma outra ferramenta tem se mostrado tão eficaz em apresentar às pessoas uma oportunidade de escolherem um relacionamento pessoal com Jesus Cristo.

Em mais de 20 anos de história Casa do Julgamento® tem estabelecido um impressionante registro como uma das mais eficazes ferramentas de evangelização para alcançar aqueles que têm certa resistência de virem a um culto tradicional ou eventos evangelístico.

Desde seu inicio em 1983 um número estimado de 3.9 milhões de pessoas já assistiram a uma apresentação de Casa do Julgamento® e 390.000 tomaram, pela primeira vez, a decisão de seguir a Jesus. Além disso, Casa do Julgamento® tem um incrível impacto sobre as igrejas e organizações que escolhem, em parceria conosco, montarem Casa do Julgamento® em sua cidade. Essas igrejas e organizações estão continuamente relatando que a montagem de Casa do Julgamento® unifica as pessoas, trás foco e enriquece a vida de oração, também fortalece o compromisso de alcançar os sem igreja em sua comunidade.

Casa do Julgamento® Passo a passo


Casa do Julgamento® uma idéia inovadora em termos de teatro: ao invés do público ficar imóvel e os atores entrarem e saírem de cena, trocar cenários, etc. é o público quem se movimenta indo de sala em sala (num total de oito). As pessoas que vêm assistir a apresentação são recebidas por recepcionistas e solicitadas a preencherem uma ficha de inscrição. Depois de feita a inscrição, são colocadas em grupos que variam de 12 a 25 pessoas. A cada 10 ou 15 minutos um grupo começa sua viagem pelas diversas salas da montagem. Para guiá-los ao longo do caminho e ajuda-los a entender a história que se desenrola um guia acompanha o grupo durante todo o tempo. O guia para do lado de fora de cada porta e dá um breve resumo da cena anterior e os prepara para a cena que irão ver em seguida.

Nas primeiras salas as cenas contam uma história única que acaba levando a uma tragédia, depois da qual alguns dos personagens centrais da história, bem como todo as pessoas assistindo, experimentam aquilo que Casa do Julgamento® acredita ser o que acontece com aqueles que morrem. Isto inclui uma cena sobre o julgamento final, nesta cena os personagens principais são enviados para seus destinos finais, baseado nas suas decisões de aceitar ou rejeitar o presente de Deus: um relacionamento pessoal com o salvador Jesus Cristo. Em seguida os visitantes têm uma breve visão


daquilo que os espera no céu quando aceitam o presente de Deus, bem como uma pequena parte da separação eterna de Deus no inferno, que é a conseqüência de se rejeitar o mesmo presente.

O guia os leva então para a última sala onde alguém faz um resumo geral da história e dá oportunidade para as pessoas aceitarem o presente de Deus através de Jesus Cristo Seu filho. Aqueles que tomam uma decisão ou têm dúvidas são


convidados a acompanhar um conselheiro numa conversa pessoal e por quanto tempo acharem necessário.

Todo esse processo leva em média de 45 minutos à uma hora para ser completado, como um novo grupo inicia sua viagem a cada 10 ou 15 minutos, uma média de aproximadamente 120 pessoas por hora pode assistir a uma apresentação de Casa do Julgamento®.


visitem o site:

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

PREVIDÊNCIA SOCIAL PARA AS DONAS DE CASA


DONAS DE CASA DE BAIXA RENDA PASSAM A CONTRIBUIR PARA A PREVIDÊNCIA SOCIALImprimir
04-Out-2011

Donas de casa de baixa renda passam a contribuir para a Previdência Social. A alíquota é de 5% sob o salário mínimo, valor que corresponde a R$ 27,25.

A contribuição passou a ocorrer a partir do início de outubro e é permitida apenas às mulheres que trabalham exclusivamente no âmbito de sua residência, com trabalho doméstico. Além disso, é preciso que a família esteja inscrita no CadÚnico (Cadastro Único para Programas sociais do Governo Federal) e que tenha uma renda mensal máxima de R$ 1.090.

Como fazer


A Previdência Social informa que todos os requisitos acima são fundamentais para que a dona de casa possa contribuir com a alíquota reduzida. Caso se enquadre no perfil, a segurada deve imprimir a GPS (Guia da Previdência Social) na página da Previdência Social na internet (www.previdencia.gov.br).

Para realizar as inscrições, a interessada deve entrar em contato com a Central de Atendimento, pelo telefone 135, ou se dirigir às agências da Previdência Social. O sistema bancário passa por adequação no momento, no sentido de aceitar os novos códigos de pagamentos, que serão utilizados na GPS.

O recolhimento junto a Previdência Social deve ser feito até o dia 15 de cada mês. Em outubro, no entanto, poderá ser efetuado o recolhimento sem multa do dia 1° ao 17°, isso porque o dia 15 será um sábado.

Benefícios da Previdência


De acordo com a Previdência Social, as donas de casa de baixa renda têm direito a aposentadoria por idade, aos 60 anos, aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, salário-maternidade, pensão por morte e auxílio-reclusão.

Caso as donas de casa desejem contar as contribuições para efeito de aposentadoria por tempo de contribuição ou emissão de Certidão de Contribuição será necessário complementar o recolhimento com a alíquota de 15% do salário mínimo.

Dona de casa fora da baixa renda


Podem contribuir para a Previdência Social, de forma facultativa, as donas de casa que não são de baixa renda, mas com um valor de contribuição superior. A alíquota é de 11% sobre um salário mínimo caso queria o direito à aposentadoria por idade. Se optar por recolher 20%, o salário de contribuição varia entre um salário mínimo e o teto máximo de recolhimento. (Infopessoal)

sábado, 1 de outubro de 2011

SER GRATO A ''DEUS''.


Se contra ti intentarem o mal e urdirem intrigas, não conseguirão efetuá-los. Sal. 21:11.

Existe uma relação estreita entre os Salmos 20 e 21. No primeiro, o povo de Deus clama por auxílio diante dos inimigos. No seguinte, o povo canta e agradece a Deus a vitória concedida.

Você e eu, com certeza, já suplicamos o auxílio divino. Aonde mais podemos ir quando sentimos que os recursos humanos falham? O que podemos fazer quando não temos mais forças para lutar e os problemas da vida parecem devorar-nos?

A grande pergunta que precisamos responder hoje é: E depois? Quando o perigo passou e o Senhor nos concede a vitória desejada, quanto tempo paramos para agradecer a Deus?

No Salmo 21, Davi agradece a Deus não só as vitórias que já foram alcançadas, mas as vitórias que ainda não foram concedidas. Essa é a lição de hoje. A gratidão pelas bênçãos do passado não é apenas um ato de louvor e reconhecimento, mas também um fator imprescindível de esperança. Você só sentirá medo com respeito ao futuro, se esquecer os grandes feitos de Deus no passado. Pequenos grandes feitos. Grandes pequenos feitos. Coisas simples, como o fato de você ter nascido, de estar vivo, de ter uma família, de poder andar.

A ingratidão é destrutiva. Aniquila em você a capacidade de olhar para o futuro, e o faz viver em constante temor. O salmista afirma: “Se contra ti intentarem o mal e urdirem intrigas.” Urdir é tramar, maquinar. É o que a aranha faz quando prepara a teia para prender a vítima. Fio a fio, dissimulada e lentamente, vai preparando a armadilha mortal.

Alguém está fazendo isso com você no trabalho, na escola ou na vizinhança? Não tema. Olhe para o passado, veja como Deus o livrou tantas vezes. Lembre-se de como cada dia, sem você perceber, a mão poderosa de Deus o livrou de tantos perigos. Seja grato a Deus e não tema.

Hoje, saia com esperança e volte com a certeza de que você está protegido nas mãos dAquele que sempre cuidou de você. E “se contra ti intentarem o mal e urdirem intrigas, não conseguirão efetuá-los”.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Deus nos chama ao deserto...


ATITUDES x PALAVRAS

Quero falar sobre deserto .

Eu sei que todos aqui gostaria de ouvir sobre outra coisa preferimos mensagem que falem sobre prosperidade , bênçãos, vitórias coisas desse tipo. Não gostamos de falar sobre deserto.

Oque é um deserto. É o oposto do jardim.

Deserto...fala sobre...seca,sol,fome,sede...

Jardim...fala sobre... água,brisa,frutos,abundancia...

Oséias 2:1415

14 - Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração. 15 - E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor, por porta de esperança; e ali cantará, como nos dias de sua mocidade, e como no dia em que subiu da terra do Egito.

Meus irmão, foi Oséias que profetizou essas palavras , Oséias era contemporâneo de Amós eles viveram no mesmo lugar na mesma época eles profetizaram no reino do norte nos tempos em que Jeroboão II era rei. Oséias e Amós viveram mais ou menos no ano de 780 AC. Andaram pelas terras poeirentas do reino do norte. Mais o mais importante é que nessa época Oséias e Amós profetizaram essas palavras em um período de prosperidade em Israel, o período mais prospero da sua história depois de Salomão quando Deus disse que iria levar o povo para o deserto Israel estava vivendo uma prosperidade que a muito tempo ele não vivia.

Era tempo de riqueza ,de honra de prestígio e é nesse tempo que Oséias e Amós profetisa a palavra de Deus dizendo eu vou leva-los a o deserto . Era um tempo também de vitória militares onde Israel através de Jeroboão II conquistava os povos, era temido. Jeroboão era um rei temível por todos os povos nessa época , nenhum dos povos que viviam nessa época conseguiram vencer jeroboão, Até os Filisteus que de tempos em tempos se levantavam contra Israel foram derrotados nessa época, os Amonitas, Moabitas foram subjugados .A Síria de Damasco de Azael de BemHadade foi conquistada. (II Reis 14:25 e 28) temos o relato dessas vitórias militares. Agora Israel se torna Grande e alarga suas fronteiras e domínio tomando conta do comércio e da rota e dos impostos os tributos.

sobre o domínio do comércio, impostos e pedágios. E Israel se tornara muito rico.

Israel se tornara tão rico que Amós nos trás um relato da riqueza de Israel na quela época (Amós 6:40) existia riqueza não só no meio do povo na sociedade mais também nos cultos a Deus nessa época. O culto era rico com as melhores ofertas os melhores animais. Havia prosperidade econômica, militar e nos cultos. As pessoas iam aos cultos e se alegravam e ofertavam a Deus, mais é nessa época de tanta prosperidade em que Deus levanta os profetas e diz eu vou te levar para o deserto e lá falarei com carinho a o seu coração.

Não é estranho! Porque? Porque aqui nesse momento Deus não esta celebrando com aquelas pessoas, eu estou dando a vitória, estou dando dinheiro eu estou prosperando o culto....NÂOOOOOOO..... è o oposto, Deus se volta para o seu povo e diz eu vou leva-los para o deserto. O que estava acontecendo realmente por detrás disso tudo. Apesar de toda aquela prosperidade e de cultos prósperos e alegres existiam muita injustiça social e pecado. Tudo aquilo que estava acontecendo não era fruto de uma fidelidade ao senhor Deus , não tinha nada haver uma coisa com a outra.

Por incrível que pareça hoje nós cometemos o mesmo erro. Pesando erradamente que aquele ou aquela esta vencendo é próspero porque agrada a Deus e Deus tem se agradado dela ,não é isso ...Como Israel estava se tornando ricos poderosos mais mesmo, assim Deus fala melhor é quando vocês estava no deserto, la vocês me ouviam andavam comigo é por isso que eu quero leva-los a o deserto de volta. Havia muita injustiça e pecados (Amós 2:6 e 8) Isso aqui que Havia por detrás de todo culto alegres ricos vitórias , economia estável. Dízimos polpudos. Do que adiantavam os cultos se eram apenas como aparências como neblina que se desvai. Eram cultos vazios de liturgias , pessoas faziam compromissos com Deus e da porta para fora voltavam a fazer tudo o que era pecado. (Oséias 6: 1 ao 3) Esse eram o compromisso que eles faziam nos cultos. Mais vejam o que Deus diz (Oséias 6:4)Era só o culto vazio só palavras vazias. Com a boca confessa o meu nome mais o coração esta longe de mim. É como aquela parábola contada por jesus: um homem tinha dois filhos e disse a o primeiro vai trabalhar na vinha....MT 21:28-31 Deus nos faz relembrar que as nossas atitudes são mais importantes e relevantes do que as nossas próprias palavras.

Elas estavam adorando a Deus com suas palavras, mais suas atitudes mostravam e revelavam outra coisa. Como Deus a prosperou, nem sempre quando vemos pessoas cantando pregando ricas é porque esta agradando a Deus. Pode esta conhecida pelo marketing pela mídia Ainda que deus pode abençoar uma pessoa e torna-la bem sucedida uma pessoa pode se tornar bem sucedida sem Deus. ... Será que os homens mais milionários ,bilionários do mundo servem a Deus lá no seu íntimo no seu interior temem a Deus. E Deus aqui no texto não diz, eu vou dar mais riquezas, mais títulos mais fama , não Deus diz eu vou leva-los a o deserto e ali eu vou les falar a o coração.

Por que no deserto? O que é que o deserto tem de valor o que a experiência do deserto trousse de valor para os filhos de Israel, o que pode trazer para mim e para você. Em primeiro lugar no deserto todos nós estamos livres das muitas distrações que nos atrapalham a mantermos o foco. Em quanto em um jardim temos muitas distrações aquela flor roxa, a vermelha, o canto do passarinho, o barulho da cachoeira, o refrigério das sombras. E no deserto nos não temos nada é só aquele sol quente aquela areia escaldante aquela ausência de agua aquela paisagem que permanece a mesma o tempo todo nós não temos distrações.

No deserto é assim Deus nos trás de volta para o foco. Se de repente nosso trabalho só tem ocupado nosso tempo nossos esforços, nossa energia é só para o trabalho sem tempo para Deus . Deus nos leva para o deserto quando perdemos o trabalho. E procuramos empregos e não encontramos e perguntamos Deus por que. De repente o trabalho se tornou uma distração para nós. Focalizando o trabalho mais que o próprio Deus, Estávamos nos perdendo estávamos levantando outro deus ainda que disséssemos que não , mais já tínhamos levantado outro deus chamado trabalho.

· O seu carro novo acaba sendo deus no lugar de Deus ,quando vc perde o carro entra em um deserto.....

· As vezes cultuamos o nosso próprio corpo na academia na estética...passamos por uma enfermidade, vamos parar numa cama de hospital e então entramos em um deserto...

No deserto Deus nos refaz, tirando tudo aquilo que nos distrai ,tudo aqui que nos faz tirar os olhos dele, tudo aquilo que divide o nosso coração Deus tira. É por isso que Deus se volta para Israel que estava vivendo toda aquela distração, não vivendo verdadeiramente servindo a Deus em Justiça, Deus diz eu vou leva-los de volta a o deserto para falar com carinho aos vossos corações para que voltem a o foco eu quero restaurar você Israel e tirar de todas essas distrações para que volte a focalizar somente a mim mesmo. Deus faz isso por que ele nos ama!

Ele sabe que nos tornamos semelhantes a o deus a o qual cultuamos, se nós cultuarmos a o dinheiro nos tornaremos doentes gananciosos colocando tudo para traz até deus como o dinheiro nos tornam. E se cultuarmos a o conhecimento a ciência nos tornaremos frios calculistas doentes sem espiritualidade alguma perdidos.

È por isso que vez outa Deus nos arranca dessas coisas e nos leva para o deserto para não tornamos semelhantes a elas e sim a o nosso Deus que nos criou. Tementes com mais amor humildade mais humanos. Não é verdade meus irmão que nos momentos de desertos buscamos mais a Deus ,jejuamos, vemos aos cultos vamos aos montes, evangelismos somos mais atuantes na obra. Quando vc perde o namoro vc ora mais entra pro teu quarto deus traz de volta, não é assim.

Quando os Estados Unidos sofreram aquele ataque no dia 11 de setembro no outro dia as igrejas e os cultos de la estavam cheios lotados de pessoas. Não é o diabo que nos leva a o deserto é o Próprio Deus, quando jesus foi levado a o deserto por quem ele foi levado? pelo diabo? Não foi Deus que o levou.

No deserto vemos que tudo aquilo que tínhamos era ilusão vai passar e Deus é eterno e nos da a vida eterna vemos que essas coisas não tem valor algum , fomos nós que demos para ela o valor a o dinheiro, a o carro as posses a o conhecimento. Mais no deserto as coisas são trazidas a luz e vemos enxergamos aquilo que é aparência desaparece o que é ilusão some e permanece apenas a presença de Deus que é maior em nossas vidas. E vc passa a viver por ele passa a andar por ele nada e mais importante que o nosso Deus. A dois anos e pouco atrás Deus me levou para um deserto de uma enfermidade e uma depressão que a doença me trouxe ali Deus me mostrou mais amor.. Somos iguais e temos o mesmo valor para Deus o sangue de Jesus Cristo Por isso Deus fala através dos profetas em Oséias 2:14 e 15 leiamos mais uma vez.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

ROCK IN RIO SENDO EVANGELIZADO.



Jovens que são visionários de Deus aqui na terra como o foi Daniel em seu tempo um pró didata de Deus.

Pois bem , eu estou falando dos nossos jovens dessa geração,como o joven diac. Rafael e o Jovem diac Luis Diego e muitos outros que estarão em missão nesses dias de Rock in Rio evangelizando os jovens na quele lugar ,eles estão se consagrando e orando para tal missão ,que Deus faça proezas através deles e haja na quele lugar, ganhando muitas vidas e manifestando o poder sobrenatural do Espirito Santo de Deus .

sábado, 17 de setembro de 2011

Silas Malafaia detona Edir Macedo e defende Ana Paula Valadão - 17/09/2011

Nos últimos dias o Bispo Edir Macedo líder da Igreja Universal do Reino de Deus levantou algumas polêmica quando de seus comentários contra as manifestações pentecostais e contra os cantores evangélicos dizendo que 99% deles são endemoniados. Os comentários foram amplamente divulgado na internet e causou muita indignação de pastores e cantores gospel.

O Pr Silas Malafaia ao ficar sabendo destas polêmicas ficou igualmente indignado e gravou um resposta para as polêmicas levantadas que foi ao ar no programa do dia (17/09) e publicou na sua conta do You Tube no dia (16/09).

Falando sobre as campanhas da Igreja Universal Silas Malafaia questiona: "Qual é a diferença da arruda da sua igreja e a do centro de macumba? Qual é a diferença do sal grosso da sua igreja e o do centro de macumba? Qual é a diferença da rosa ungida da sua igreja e da do centro de macumba?"


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

CONGRESSO OPÇÃO JOVEM 2011




Que benção foi o congresso do Opção Jovem da CPPV com o tema de “DANIEL”. Momentos inesquecíveis de muita unção, palavras, revelação, interatividade, danças, teatro ,ministérios jovens que participaram . Então ,foi muito proveitoso e gratificante ,onde jovens saíram empaquetados e marcados pelas palavras nos três dias de congresso.

Que todos esses jovens possam marcar essa geração como Daniel marcou a sua. Parabéns jovens vocês não são o futuro de amanhã e sim o de hoje, creiam nisso e vivam o melhor de DEUS para as suas vidas e não sejam influenciados, mais influenciem a muitos jovens.

Amém! Aleluia!

''10 mandamentos dos namorados''

AMAR ao outro como a si mesmo. Se não há um sentimento puro, sincero esqueça.(Ef.5.25)
AMAR também é Respeitar as individualidade entre ambos. ( Espiritual, Emocional e Física)Ver Col 3:19
AMAR é ter responsabilidade pelo outro, pois a Palavra empenhada é aprovada por Deus. (Mat.18.19).4° AMAR também exige COMPROMISSO, Planos para o Futuro, começa com uma base sólida de namoro.Tito2:4
AMAR é não NEGLIGENCIAR os Conselhos dos mais experientes, principalmente, Pai e Mãe. (Ef. 06:02)
AMAR é viver na DEPENDÊNCIA do Espírito, pois o "Discernimento Espiritual" é importante.( Mat. 06: 33).
AMAR é CEDER quando perceber que há certos momentos de indecisões,aceitar opiniões, refletir.Ti: 3.9
AMAR é saber REMIR O TEMPO, não fique espe- rando uma década pela decisão do matrimônio.Lembre: Que o tempo é fugaz, portanto decidam-se... (Ef.5.16).
AMAR é saber PLANEJAR , não entre em Canoa Furada, antes de Subir ao Altar, ARRUME A SUA VIDA FI- NANCEIRA - ( Provérbios 13: 01 e 14: 01 ).
10º AMAR É CONFIAR EM DEUS, quando o namoro é preparado por Ele, tenha certeza meu irmão que:TUDO DARÁ CERTO. ( Isaias 49: 23 ).

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

cartucho HP 60 as mentiras sobre originais

Caramba Vejam esse vídeo . Agora eu sei porque eu tinha que comprar cartuchos todo mês. Olha o quanto a HP tem lucrado com migo, ou seja com todos que são preconceituosos com os cartuchos manufaturados...SNIFI'...ISN​IF'...SNIFI'...
isso é pra chorar de raiva.... (OBS: se bem que a qualidade de tinta do original é melhor ,mais mesmo assim não vale apena ,a economia com manufaturados é infinitamente mais vantajoso.

.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O que a bíblia nos diz sobre casamento

O que a bíblia nos diz sobre casamento

Um homem e uma mulher que se unem em amor e vão morar juntos sem o casamento mais vivem como um casal casado perante a sociedade e se respeitam com a fidelidade mutua. Aos olhos de Deus são casados? E perante a lei do homem aqui na terra são casados?

Esse mesmo homem e essa mulher depois de anos de convívio vierem simplesmente a se separarem e ir um para cada lado e depois vierem a manter uma outra união com parceiros diferentes. O que eles estarão infligindo? A lei de DEUS? OU a dos homens? OU ainda as duas ? Após alguns anos de novo se separam e vão um para cada lado de novo e seguem suas vidas sem nunca terem sido casados perante a lei ,sem compromissos .Mas após alguns anos se passarem venham a se unir com outros parceiros em um novo relacionamento sendo que dessa vez casam-se no civil e no religioso.

E agora Deus reconhece o casamento ?E a lei da constituição reconhecem como casados verdadeiramente?

A igreja tem sido hipócrita quando não os reconhecem como um casal casado, desde a 1ª união, pois perante Deus foram casados três vezes. E passando assim por dois divórcios.

Sendo o casamento não sujeito a um padrão bíblico, judicial e cultural universal, entende-se que Deus o concebe conforme o tempo, cultura, costume e padrões normativos da sociedade, desde que não infrinja os princípios estabelecidos pela palavra de Deus, dentre os quais a heterossexualidade e a fidelidade conjugal (Gn 1.27, 2.22-25; Ex 20.14, 17; 1Tm 3.2;).

Não há na Bíblia sagrada nada que fundamente a ideia de que para ser reconhecido por Deus, o casamento precise de uma certidão ou contrato, quer estabelecido pelos pais, pela religião ou pelo estado. A prova disto é que os casamentos que não foram realizados ou regidos por tais instrumentos, eram diante de Deus reconhecidos e válidos (Gn 1.27-28; 24.58-67; 29.21-30; 41.45; Ex 24.1; 1Sm 18.27; Rt 4.9-13; Mt 1.24-25, etc.) O contrato de casamento é mencionado apenas no livro apócrifo de Tobias 7.13, e mesmo assim com caráter descritivo e não prescritivo.

Sendo o casamento não sujeito a um padrão bíblico, judicial e cultural universal, entende-se que Deus o concebe conforme o tempo, cultura, costume e padrões normativos da sociedade, desde que não infrinja os princípios estabelecidos pela palavra de Deus, dentre os quais a heterossexualidade e a fidelidade conjugal (Gn 1.27, 2.22-25; Ex 20.14, 17; 1Tm 3.2;).

Não existe nenhuma passagem na Bíblia que determina ou obriga a um casal que se ama e se identifica e que não tem nenhum empecilho para viverem uma vida a dois, possa formar um lar e desfrutar de um relacionamento conjugal e sexual abençoado por Deus que determinou: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”. Gênesis 2: 24.

Não é um papel de cartório e nem leis de homens aqui na terra, que transformam duas pessoas que se amam, HOMEM e MULHER, em uma só CARNE, e sim a lei do amor de Deus no coração do homem e da mulher que se desejam. “De modo que não são mais dois, porém uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem”. Mateus 19: 6. Quem UNE o casal é Deus e não os homens aqui na terra e não um papel carimbado de cartório.

Só a partir do século IX a igreja (católica), começou a chamar para si a competência para regular de forma exclusiva a toda matéria matrimonial, vindo no Concílio de Trento em 1553 dar ao casamento a condição de sacramento da Igreja. Até então, desde a Igreja Primitiva, não havia dificuldade no reconhecimento do casamento conforme os padrões sócio-culturais, desde que fundamentado nos padrões bíblicos, conforme já citado.

No Brasil, a Igreja no seu princípio seguiu as diretrizes da Constituição Republicana de 24 de Janeiro de 1891, no art. 72, parágrafo 2°., que reconhecia apenas o "casamento civil", e do Código Civil que vigorou a partir do 1° de Janeiro de 1917, cujas disposições só reconhecia como válido o casamento civil celebrado pela autoridade secular. Entendendo se dever cívico de submissão às autoridades constituídas (Rm 13) e da preservação dos bons costumes (padrão culturalmente instável), a Igreja Evangélica, sem maior reflexão bíblica, privou o batismo nas águas e consequentemente da santa ceia aqueles novos crentes congregados que se encontravam diante da "lei" irregulares e marginalizados em virtude de sua união conjugal não seguir as diretrizes legais de então, quanto ao casamento ou reconhecimento do status de família. Com os graves problemas que esta exigência jurídicas causou, uma vez que não eram reconhecida pelo Estado as uniões conjugais estáveis, acontecia que no momento da separação entre estes "casais", a mulher sempre sofria prejuízos na partilha (quando havia partilha) de bens e em outras questão básicas.

Diante deste quadro, partindo de mudanças no Direito Tributário, o Estado acabou por reconhecer através da Constituição de 1988 em seu art. 226 parágrafo 3°, a união estável entre homem e mulher como entidade familiar, caracterizada pela convivência pública, contínua e duradoura com o objetivo de constituir família. Tal artigo foi regulamentado pela Lei 9.278 de 10 de Maio de 1996 e pelo novo Código Civil de 10.01.2002 em seu art. 1723. O Estado com isso corrigiu um erro e uma injustiça, retomando o principio dos primórdios da sociedade onde "o fato do casamento era por si reconhecido e satisfatório. Tais mudanças nas leis do país, não quebraram nenhum principio bíblico referente a vida conjugal entre homem e mulher, ao contrário, consolidaram o referente princípio.

Não há Novo Testamento nenhuma exigência para o batismo nas águas relacionada a "contratos ou certidões de casamento", aliás, as únicas exigências são arrependimento, fé, consciência e vontade (Mc 16.16; At 2.38-41; 8. 36-37). A história e a Bíblia (Mt 15.3) nos revelam os riscos de se colocar a "tradição" acima da Palavra de Deus promovendo com isto a injustiça. É no mínimo contraditório o fato de se negar o batismo nas águas para os crentes que participam ativamente da vida congregacional, contribuem com seus dízimos, dão ofertas, evangelizam, fazem parte dos órgãos de cântico, alguns são líderes, ensinam na escola dominical, e são batizados com o Espírito Santo. Só não podem assumir funções "oficiais" e participarem da Santa Ceia.

Mudar é incômodo, mas por vezes é necessário. Mudar com responsabilidade, avaliando as conseqüências das mudanças é essencial. O desejo por mudança, por bem intencionado que seja, acaba mexendo com padrões fortemente estabelecidos e arraigados em qualquer instituição. Não quero ser simplista, visto que a questão exige assim uma análise cautelosa.

O pensador e questionador corre o risco de ser mal interpretado e até "excomungado" (Jesus, Paulo, Lutero, Luther king e outros que o digam). Pensar diferente nem sempre é pensar errado. Pensar criticamente é necessário. Pensar biblicamente é sempre certo. O propósito desse texto é fazer pensar, refletir, gerar discussão, debate, pois só assim os erros podem ser corrigidos, as mudanças podem acontecer e a justiça pode ser promovida.

Pastor Vagner morais

terça-feira, 2 de agosto de 2011

É correto para um cristão namorar ou casar-se com alguém que não seja cristão?

Pergunta: "É correto para um cristão namorar ou casar-se com alguém que não seja cristão?"

Resposta: II Coríntios 6:14 declara: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” Enquanto esta passagem não menciona especificamente o casamento, certamente tem implicações para o casamento. A passagem continua dizendo: “E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei” (II Coríntios 6:15-17).

A Bíblia continua dizendo: “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes” (I Coríntios 15:33). Ter qualquer tipo de relacionamento íntimo com um incrédulo pode rapidamente e facilmente se tornar algo que obstrua sua caminhada com Cristo. Somos chamados a evangelizar os perdidos, não a sermos íntimos com eles. Não há nada errado em construir amizades de qualidade com os incrédulos, mas isto é o máximo que se pode fazer. Se você estivesse namorando um incrédulo, como vocês dois poderiam cultivar intimidade espiritual dentro do casamento? Como um casamento de qualidade poderia ser construído se vocês discordassem no assunto mais importante do universo: o Senhor Jesus Cristo?

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Náufrago!

Um certo homem saiu em uma viagem de avião. Era um homem temente a Deus, e sabia que o Senhor o protegia.

Durante a viagem, quando sobrevoavam o mar, um dos motores falhou e o piloto teve de fazer um pouso forçado no oceano. Quase todos morreram, mas o homem conseguiu agarrar-se a alguma coisa que o conservasse em cima da água. Ficou boiando à deriva durante muito tempo até que chegou a uma ilha não habitada.

Ao chegar à praia, cansado, porém vivo, agradeceu ao Senhor por este livramento maravilhoso da morte. Ele conseguiu se alimentar de peixes e ervas. Conseguiu derrubar algumas árvores e com muito esforço construiu uma casinha para ele. Não era bem uma casa, mas um abrigo tosco, com paus e folhas. Porém significava proteção. Ele ficou todo satisfeito e mais uma vez agradeceu ao Senhor, porque agora podia dormir sem medo dos animais selvagens que talvez pudessem existir na ilha.

Um dia, ele estava pescando e quando terminou, havia apanhado muitos peixes. Assim, com comida abundante, estava satisfeito com o resultado da pesca. Porém, ao voltar-se na direção de sua casa, qual não foi sua decepção, ao ver sua casa toda incendiada.

Ele se sentou em uma pedra chorando e dizendo em prantos: –Senhor! Como é que foi deixar acontecer isto comigo? O Senhor sabe que eu preciso muito desta casa e o Senhor deixou queimar todinha. O Senhor não tem compaixão de mim? Eu sempre faço minhas orações diárias.

E assim permaneceu o homem durante algumas horas, envolvido em sua revolta e dor.

Passado algum tempo, uma mão pousou no seu ombro e ele ouviu uma voz dizendo: –Que bom encontrá-lo… você está bem?

Ele se virou para ver quem estava falando com ele, e qual não foi sua surpresa quando viu em sua frente um marinheiro acompanhado de uma equipe: –Vamos rapaz, nós viemos te buscar…

-Mas como é possível? Como souberam que eu estava aqui?

–Ora, amigo! Vimos os seus sinais de fumaça pedindo socorro. O capitão ordenou que o navio parasse e nos mandou vir lhe buscar naquele barco ali adiante. O grupo entrou no barco e o homem foi para o navio que o levaria em segurança de volta para os seus familiares tão queridos.

A propósito, como anda a sua fé?

Transcrito

Pastor Vagner Morais

CONGRESSO OPÇÃO JOVEM 2011

CONGRESSO OPÇÃO JOVEM 2011

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Iº CONGRESSO OPÇÃO JOVEM.

End: Vicente Perrota,103 Lote 14 Quadra 04 Jardim Monteiro - Campo Grande / RJ Ponto de referencia: Próximo a o colégio e Praça Mané Garrincha